O Palhaço de Deus

capa
No princípio ele era mudo. Sim, mudo. Mas seus olhos, suas mãos, seus pés não ficavam em silêncio. No princípio ele era muitos, apesar de sempre sozinho de tudo. No princípio ele era triste, mesmo quando parecia engraçado. Até que um dia, no escuro, ele desandou a dar cambalhotas e, depois de tantas voltas e viravoltas, foi compreendido. Passou então a ser o palhaço de Deus. E o silêncio se fez palavras. Neste livro, o premiado escritor Luiz Raul Machado cria um texto lúdico, poético e instigante, capaz de despertar em todos nós o olhar atento às coisas mais belas, simples e profundas da nossa existência. E conseguimos ver que a pedra no meio do caminho pode nos trazer vida e esperança. A poesia de Luiz Raul Machado, sob influência de seus mestres Charles Chaplin e Carlos Drummond de Andrade, ganha neste ‘O palhaço de Deus’ as imagens inspiradoras e também poéticas do ilustrador e artista plástico Salmo Dansa.
DSC03912Escrito por Luiz Raul Machado, ilustrado por Salmo Dansa – Editora Nova Fronteira.

Abaixo das canelas

SAM_1486
Sabe aqueles costumes, hábitos ou regras que existem em uma determinada localidade, mas não sabemos o por quê, e ninguém na verdade sabe explicar?
Pois, lá na Poscovônia as pessoas podiam andar peladas. É isso mesmo, peladas. Podiam mostrar tudo, mas havia uma parte do corpo que elas preferiam esconder. Eram os pés.
Ninguém sabia explicar, mas elas se envergonhavam terrivelmente daquela parte que ficava abaixo das canelas.
Um dia, porém aconteceu algo que mudou a história. Algo pouco elegante, que não cheirava muito bem, uma chulezite aguda altamente contagiosa que apesar de não ser fatal, era constrangedora e causava uma terrível desordem social. Enquanto a população não encontrava uma solução, resolveram deixar o Professor de Filosofia Fausto como encarregado de divulgar a campanha higiênica, onde era preciso insistir para que as crianças tomassem mais de um banho por dia, ou pelo menos lavassem muito bem aquelas partes. Mas o questionamento de um aluno no primeiro dia de campanha leva o professor a uma busca pelas razões que fundamentam esse antigo e infundado hábito da população de Poscovônia, afinal, tem regra que caduca, que a gente esquece de conferir o prazo de validade vencido e continua usando.

Escrito e ilustrado por Eva Furnari – Editora Moderna

Buriti Grande

Buriti GrandeUm dia, por sorte,
sem saber, sem esperar,
conheci um lugar muito especial
e guardei no meu armarinho da memória,
bem guardadinho, pedaços de felicidades.
Assim nasceu uma hitória, tão singela, de um Buriti,
Buriti Grande.

Marismar Borém e Lelis de forma bela e singela fazem uma reverência à infância, aquela sem eletrônicos, de pé no chão, livre, na casa dos avós, na natureza, aonde o menos é mais. Uma história nostálgica ideal para mostrar as crianças de hoje como a vida pode ser simples e ricamente feliz sem muitos aparatos, que é possível se divertir usufruindo do espaço que temos, da companhia de nossos familiares e amigos e refletir sobre quais valores estamos transmitindo às nossas crianças.

Escrito por Marismar Borém – Ilustrações de Lelis – Editora Aletria

Meu pai é o bicho!

SAM_1451É comum às crianças compararem os pais a super heróis, afinal, são referências de segurança e força, mas nessa história tem um pai que se transforma em pinguim, gato, urso, zebra, entre outros. Com um texto maravilhoso cheio de rimas, onomatopeias e ilustrações cheias de vida que dão asas a toda essa imaginação. Um livro super divertido que fala sobre a figura paterna, imaginário infantil e relação entre pais e filhos.
Escrito por Silvio Costta – Ilustrações de Ostan – Editora Hyria

Jardim de Bichinhos – Poemas para bichinhos-carpinteiros


Já pensou em um lindo jardim, cheio de vida, cores, plantas e muitos bichinhos como formigas, minhocas, cigarra, pirilampos, entre outros? Nunca pensou? Então você precisa desse livro, pois tem tudo isso acrescido de belos poemas, brincadeiras fonéticas e maravilhosas ilustrações que complementam os poemas e ganham um rumo próprio criando uma narrativa imagética surpreendente. Um livro encantador para quem gosta de apreciar as pequenas singelezas da mãe natureza.
Escrito por Sandra Lopes, ilustrações de Camila Carrossine – Zit Editora