Abaixo das canelas

SAM_1486
Sabe aqueles costumes, hábitos ou regras que existem em uma determinada localidade, mas não sabemos o por quê, e ninguém na verdade sabe explicar?
Pois, lá na Poscovônia as pessoas podiam andar peladas. É isso mesmo, peladas. Podiam mostrar tudo, mas havia uma parte do corpo que elas preferiam esconder. Eram os pés.
Ninguém sabia explicar, mas elas se envergonhavam terrivelmente daquela parte que ficava abaixo das canelas.
Um dia, porém aconteceu algo que mudou a história. Algo pouco elegante, que não cheirava muito bem, uma chulezite aguda altamente contagiosa que apesar de não ser fatal, era constrangedora e causava uma terrível desordem social. Enquanto a população não encontrava uma solução, resolveram deixar o Professor de Filosofia Fausto como encarregado de divulgar a campanha higiênica, onde era preciso insistir para que as crianças tomassem mais de um banho por dia, ou pelo menos lavassem muito bem aquelas partes. Mas o questionamento de um aluno no primeiro dia de campanha leva o professor a uma busca pelas razões que fundamentam esse antigo e infundado hábito da população de Poscovônia, afinal, tem regra que caduca, que a gente esquece de conferir o prazo de validade vencido e continua usando.

Escrito e ilustrado por Eva Furnari – Editora Moderna

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s