A Bruxa Zelda e os 80 docinhos

zeldaElas nem sempre davam muito certo – as invenções do professor Bóris, o cientista de Piririca da Serra. Seu gato robô, por exemplo, latia como um cachorro e se alimentava de mosquitos como um sapo; já a Lelé, sua robô arrumadeira, funcionava perfeitamente. Certo dia, o professor recebe uma inesperada carta do seu primo Ladislau: e não é que ele havia encontrado a fórmula da juventude eterna, elaborada pelo seu avô, que todos consideravam maluco? Bóris fica exultante e imediatamente pede a seu assistente Nicolino que consiga os ingredientes necessários – sem se dar conta que a conversa dos dois era ouvida por detrás da cortina por alguém não muito confiável: Astolfo, o corvo da Bruxa Zelda. Mal toma conhecimento da notícia, Zelda mostra- -se disposta a tudo para conseguir a tão almejada fórmula, dando início a uma série de quiprocós, trapalhadas e mal-entendidos que terminará com a velha bruxa empanturrando-se de bombas de chocolate e o pobre Nicolino voltando a ser um recém-nascido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s